sexta-feira, 14 de maio de 2010

Aprendendo sobre Canários da Terra – Parte 1


Salve amigos,


Esta é realmente a regra. Canários que vivem isolados de fêmeas, filhotes e disputas de canto em casa, rendem muito mais nas competições de fibra.
É claro que teremos algumas exceções. Mas mesmo estas exceções ( que podem render na roda vivendo com fêmeas) com certeza terão um rendimento bem menor que se tivessem isolados.
Dos "males" para os Cts de roda, o menor é quando mantemos o macho competidor apenas na mesma casa das fêmeas, porem num cômodo distante das fêmeas e filhotes, e sem contato visual com nenhum CT. De preferência ficando sempre encapado, e só tirando da capa pra pendurar na roda.
A grande questão é que os Cts que vivem com fêmeas, ficam mais tempo enfemados na mesma gaiola das fêmeas e perto de seus filhotes, depois de um certo tempo,passam a estabelecer território apenas no local de moradia e ficarão sempre dependentes da fêmea.
O pássaro que fica isolado, depois da muda, que sai constantemente, quando esquenta, participa de badernas, disputas e torneios, sempre em locais diferentes, passa a estabelecer seu território na gaiola, com o dono e passa a gostar das disputas.

Dessa forma, mesmo que seja "inconscientemente”, o território dele passa a ser qualquer lugar. E sendo realmente de fibra, onde quer que seja levado, tendo a presença de outros machos, encarará o macho rival como afronte e disputa desse território ( qualquer lugar) que " em tese" é seu.
É uma questão na verdade biológica, anímica e instintiva.
Toda ave territorialista, e os Cts como sendo uma das mais territorialistas e belicosas,
estando fogoso, lutará cantando, ( e para os criadores de rinha brigando. O que somos totalmente contra) enquanto tiver forças.
Nas nossas andanças, armadilhas( na década de 70) e observações dos Cts na natureza, podemos observar que existem 3 tipos básicos de disputas. E nós humanos passamos a utilizá-las como forma de competições.
São elas:
1- Disputas de longa distancia - Onde o Ct invasor começa a disputar canto com o CT residente as vezes em distancias de 1 KL. Nessa disputa o canto mais alto, longo,forte e agressivo levara vantagem.
Diante desta, nos criamos as competições com as estacas individuais( canto livre, clássico e repetição)

2- Disputas de curta distancia- Havendo uma similaridade na 1 disputa, os cts vao chegando cada vez mais perto, ate muitas vezes ficaram, um em cada estaca da certa ou galho de arvore de menos de 1 metro. Como já observei inúmeras vezes no mato.
Nesse tipo de disputa nem só o canto terá influencia, mas também os movimentos de afrontes dos Cts e alguma possível diferença de tamanho entre eles.

3- O atrito físico ou a Briga- Se no 2º estagio nenhum dos Cts se acovardar do outro, eles entram em batalha de luta física que pode durar ate mais de 30 min.
Em alguns casos essas lutas podem levar a morte de algum dos concorrentes.

Obss e conclusões.

Em todas as disputas o que esta em jogo é : o território, a capacidade de copular com as fêmea do pouso(ponto) e assim propagar os genes de sua espécie, raça e família.

Saindo do ambiente natural e retornando para o ambiente domestico e de competição.
O que realmente levara o Ct a disputar serão os mesmos anseios. Pois, mesmo que ele esteja isolado de fêmeas e não tenha estabelecido um pouso ( território ou prego), instintivamente ele estará disputando com outros cts, na expectativa de que, sendo vencedor poderá ter acesso as possíveis fêmeas, pousos e a propagação de seus genes.
Um detalhe importante é que, em ambiente natural, os cts de pousos, não saem para disputar o pouso do outro CT. Apenas quando há escassez de alimento no local de seu território. E assim, tendo que alimentar seus filhotes, ele se arriscara num possível pouso visinho.
Quando ha. brigas num território, na maioria das vezes tratam-se de Cts que foram escorraçados de seus pousos por Cts mais fortes, ou aqueles que estão começando a esfoguear um pouco mais tarde e já não encontram mais fêmeas solteiras disponíveis.
Quando observamos uma grande localidade com incidência de casais de Cts, podemos ver que os casais mais fortes ou com a genética ( naturalmente) mais apurada, ocupam os melhores locais para seus ninhos, com melhor visibilidade do todo e maior abundância de alimentos.

Peço desculpas pelo tamanho do e-mail, mas é um tema muito interessante, que muito me encanta e pelo qual, desde os meus 7 anos de idade, venho tentando conhecer e melhor entender.






Aprendendo sobre Canários da Terra – Parte 2 – Fazendo seu próprio campeão

Para termos maior probabilidade que saiam filhotes de roda, é necessário que o pai seja de roda (de preferência um campeão) e a mãe descendente de um ct de roda( de preferência também campeão).

As observações começam desde o dia que saem do ninho, durante todo o tempo que permanece junto de outros filhotes no gaiolão, quando passaremos a conhecer qual a hierarquia que se estabelece. Depois que junta todos no viveiro, poderá observar os 3 tipos de machos: 1 - ALFAS que comandam a hierarquia,comem sempre primeiro, batem em todos mas não apanham de nenhum. 2- os machos BETAS que batem nos deltas e apanham dos Alfas, e são os segundos a se alimentarem e 3 - os machos DELTAS que comem por ultimo e só apanham dos 2 primeiros.
Outra observação é o movimento de afronte (levantando a cabeça em forma de atestar), esta é uma das manifestações comportamentais a ser observada.
Esta se trata da 1ª fase.
Na 2º fase, quando separamos os machos em gaiolas individuais e sem contato visual, partiremos para a segunda etapa de observações.
Vendo quais os que cantam mais, que quando vêem outro macho levantam, a cabeça em forma de atestar e se mostram destemidos diante de outros machos.
Além disso, tem que sair constantemente com todos e fazer os mesmos testes na rua, vendo quais os que se mostram mais dispostos em cantar em qualquer lugar, disputar canto (sem contato visual com outros cts) e mostrar os rituais de afrontes quando veem outro macho.
A 3ª fase é muito delicada pois podemos errar. Numa idade que pode variar entre 4 e 8 meses, os filhotes se preparam pra muda de ninho, e a muitos deles podem apresentar uma maior debilidade, onde alguns ficam ate com aparência de doentes: apáticos, com o corpo eriçado, cantam menos e se mostram indispostos. Nessa fase, (na verdade em todas as outras também), a higiene e a observação constante são essenciais, pois facilmente algum deles pode apresentar alguma patologia simples ou composta como vermes, fungos, ácaros, singamose, entre outras patologias.
As vezes, muitos dos filhotes alfas e mais dispostos depois de separados, podem perder todos os atributos notados inicialmentenesta fase.
Além do que, outros filhotes, betas e deltas, podem lidar melhor com essa fase, e nela apresentar atributos que ainda não haviam sido notados.

Na 4ª Fase, entre 10 meses e a 1 muda de amarelo( que acontece entre 13 e 18 meses na maioria das vezes) vamos saber, ainda enquanto pardos quais se mantêm mais dispostos a cantar em qualquer lugar, bater fogo para outros machos, apresentar um canto limpo e sem defeitos e no teste de fibra,( que não deve durar mais de 20 min) cantar na cara de outro macho.

A 5ª Fase acontece depois da primeira muda de amarelo. Onde, depois que ele enxugar totalmente a muda e ja estiver novamente com o canto todo aberto e o dia todo, voce começará a sair gradativamente com ele, deixando disputar de longe e sem contato visual.
A cada nova saída, vai aproximando mais e sem contato visual, ate chegar a deixar bem perto( meio metro) e ainda sem contato visual. Se ate ai ele se sair bem e sempre cantando e disputando, fará o teste na roda, deixando apenas 30 min, depois 1 hora, ate no máximo 2 horas, para não forçar. Ai você pode fazer a marcação de 15 min, 3 ou 4 vezes em disputas diferentes, para saber quais as medias dele.
Se ele se sair bem, e apresentar boa media. Esta quase pronto.

A 6ª e ultima fase acontece entre a 2ª e 4ª muda de amarelo ( entre 2 e 5 anos que é a idade auge dos Cts). O ideal é que, assim que começar a esfriar pra esta muda, deve ser isolado de outros cts pra fazer a muda sozinho. Quando ele esquentar de vez apos a 2ª muda de amarelo, sempre isolado de fêmeas, pardos e outros Cts, fará os mesmos procedimentos da 1ª muda de amarelo, só que, nos testes finais de fibra, ele ficara das 8 as 12 h na roda e nos 15 min finais fará a marcação.
Se ele cantar das 8 as 12 e obtiver uma boa media (pelo menos acima dos 100 cantos), ai sim vc tera certeza de que tem um excelente CT feito por você e nascido em seu criatório.

Conclusões:

1- Jamais poderemos dar um diagnostico definitivo sobre o ct em nenhuma das 5 primeiras fazes.
2- Só depois dos 3 anos poderemos dar este diagnostico.
3- Nem sempre os filhotes que passam na fase atual, passara na fase seguinte.
4- Nem sempre os melhores filhotes da fase 1, 2 e 3, serão os melhores nas fases 4, 5 e 6.
5- Dificilmente, num primeiro cruzamento entre um casal, mesmo selecionadíssimo, tendo o macho de roda e uma fêmea descendente de Ct de roda, poderá sair um Ct excelente nas 6 fases ou que se mostre excelente nas fases finais.
Colocaria uma porcentagem de apenas 3% e contando ai com muita sorte.
Só poderemos obter um maior numero de filhotes excelentes, quando seguimos algum método de seleção genética ( imbrending, linenbrending, crosbrending ou outbrending, seguindo a tabula de Flech), e isso depois de pelo menos o 4º e 5º cruzamentos. Com sorte em pelo menos 5, 6, 7 anos.
6- Alguns Cts apresentam excelente desempenho quando pardos, mas depois de amarelos nunca rendem nem metade do que renderam como pardos.
7- Muitas vezes, Cts medianos enquanto pardos, depois de amarelos e com mais e 3 anos, se mostram excelentes Cts.
8- Qualquer falha do criador no manejo deste Ct, em qualquer uma das fases, pode estragar o CT e criar um "trauma ambiental" que colocara em cheque a sua qualidade genética. Ou seja, o cara teria um excelente Ct, mas com o manejo errado, transforma esse ct num pássaro mediano e muitas vezes ruim.
9- Uma alimentação inadequada, uma localização inadequada e uma higiene inadequada pode estragar facilmente um CT, levando-o a patologias que o deixara inseguro de suas qualidades, podendo acarretar problemas eternos. Ex. Imagine um lutador, ou jogador que se alimenta mal, e apresenta alguma doença seria. Será que doente, e mesmo curado mais inseguro, ele voltara a render o que rendia ou potencialmente poderia render? em pouquíssimos casos sim. Mas na grande maioria nao.
10- A tentativa de antecipação do manejo de uma fase seguinte, numa fase anterior, acarretara também sérios problemas.

Serafim - Criatório Salvador
Bahia-Brasil

terça-feira, 11 de maio de 2010

HISTÓRIA

CRIADOURO CONQUISTA
CANARIO DA TERRA, COLEIROS E OUTROS.

Ainda com 12 anos (1989) na minha cidade Natal Vitória da Conquista-Ba, dei início à precoce criação de passaros, Coleiros e Canarios da Terra, na época criava por acaso so para o canto devido à inexperiência e a ausência de técnicas e instrução do manejo. Começei com criaçao de silvestres como não tinha registro no ibama passei a criar passaros ornamentais, não tinha nenhuma noção de criação, apenas possuía muita vontade de criar. Em 1997 deixei a criação de passaros e só em 2007 retornei com a velha paixão me cadastrei no ibama e adquiri um casal de canarios da terra, apesar de passar 10 anos sem criar sempre estive no meio de amigos criadores, fazendo pesquisas e adquirindo mais conhecimento sobre a reproduçao de passaros.

Gilbert de Souza Ferraz
Criador Amadorista
Cadastro Ibama nº: 2020346